Você tem sangue?

Você tem sangue?
Tem?
Ah, sim...
Todo o mundo diz que tem.
Mas se tem um certo sangue
Vai saber o que eu digo
Vai saber antes que eu diga
Já terá sentido o cheiro
Cheiro de porão
Cheiro de maldade
Cheiro de prisão
A pele
Pressentindo a chibata
Os pulsos
Pressentindo as correntes
A escravidão
Ali
No canto da sala
Atrás da igreja
No livro recém lançado

A maldita
É sorrateira
Toma a forma das leis
Ganha as chancelas episcopais
É notícia no jornal
Piada
Nos botecos
E ninguém faz nada
Porque se julga
Um homem livre
Até que chega
A lei
E racha o mundo

Se você sabe
Se você sente
Então já entende
Que vai se lascar.

Ela vem aí
Vem sim

A escravidão
Nunca está longe
Dança mascarada
Em todo o baile

E ninguém faz nada

Até o baile acabar para alguns
Até alguns virarem senhores
Até assinarem as leis

Ninguém faz nada.


Claudinei Soares

Compartilhar:
← Anterior Proxima → Inicio

Os Mais Lidos da Semana

Se tem fogo... Me dá um cigarro!

Se tem fogo... Me dá um cigarro!
Os poemas que formam esse livro criam “um mundo” antropológico divinamente profano. Adams Damas, Bruna Fernanda Berardi, Claudinei Soares, Fê Effen, Sendy Gomes, Murillo Kollek e Francisco Heraldo, nos brindam com temas que fazem parte do dia a dia.

POSTAGEM EM DESTAQUE

Meu jeito estranho de gostar das coisas

Queria você perto de mim Mas não aqui Neste mundo estranho Neste tempo obscurecido Talvez eu tenha esquecido Tudo o que eu nunca soube S...

Seguidores

Total de visualizações !

Siga-nos