Francisco Heraldo

Algo acontece

08:27

Algo acontece
Ninguém se dá conta disso
As correntes e correias
Trabalham
Nos corpos cansados

Esperamos o que nunca vem

O tempo corre
Despedaça sonhos
Costura desespero

Não há lágrimas
Não há gritos
Não há sons

Algo acontece
Quando nós daremos conta disso?

Francisco Heraldo 

04/ 05/ 2017

Claudinei Soares

Sem ninguém para entender

09:39

Sem ninguém para entender
Para lembrar ou esquecer
Sem datas para guardar
O calendário à amarelar
Sem relógio pra dizer
Que as horas tem poder
Sem sapatos pra calçar
Nem caminhos para trilhar
Eu me sonho solto no espaço

A vida pulsando em halos
meus olhos feito dois ralos
Sugando num vórtice eterno
As cores do mundo externo
E nunca a sede é saciada
De se entupir de nada
Sonho rastejar
Até seu abraço

Faca
carne
Sangue brota - é real?
Beijo
Desejo
Soco

Carícia
Escara
Bem sei que o bem é mau
São
Insano
Louco

Salto
Queda
Vôo
Abismo é só escolher qual
Rápido
Ou pouco
A pouco

Claudinei Soares

Claudinei Soares

Vontades

18:49

Minha vontade é te pegar sem qualquer ética
Te possuir sem qualquer escrúpulo
Triste é saber que te desejo tanto
Sem qualquer outro sentimento.
A sinceridade vai me matar um dia
A honestidade ainda vai me por à ferros.
Movido pelo desejo
Eu faço qualquer coisa.
verdade.
Eu quero te devorar
Te consumir até me rasgar
Num rio de lava de orgasmos e gritos.
Triste é saber que quero fornicar
Sem qualquer outro sentimento.
Não quero o respeito que amarra
Nem o afeto que suaviza
Nem o medo nem a culpa
Quero o desejo apenas
Só para ele tenho um espaço
Crescente e promissor
Só ele entre todas as dores
Concedeu-me algum prazer
Alguma satisfação nesta vida
Os segundos com o coração na boca
Os segundos com seu sexo na boca
São a máquina de suporte da vida
Que me trouxe a este momento.
Triste saber que a iluminação é assim
Sem qualquer outro sentimento

Claudinei Soares

Prosa

Delírios que me leva ate você!

12:17

Delírios que me leva ate você! Buscas constantes de outra aurora . Pergunto-me, às vezes, o que nos leva a escolher uma vida morna:- ou melhor não me pergunto, contesto. A resposta eu sei de cor, está estampada na distância e frieza dos sorrisos, na frouxidão dos abraços, na indiferença do "Bom dia", quase que sussurrados.


Sobra covardia e falta coragem até pra ser feliz. A paixão queima, o amor enlouquece, o desejo trai. Talvez esses fossem bons motivos para decidir entre a alegria e a dor, sentir o nada, mas não são.

Se a virtude estivesse mesmo no meio termo, o mar não teria ondas, os dias seriam nublados e o arco-íris em tons de cinza. O nada não ilumina, não inspira, não aflige nem acalma, apenas amplia o vazio que cada um traz dentro de si. 

Delírios de prazer não teria sentido. Busca a tal “alma gêmeas ” onde esta tudo que nos leva a acreditar que o amor cura e sara tudo!! Tanto na carne como na alma. Todos os desejos e loucuras guardados num baú a sete chaves será!!

Rosy CSC