Murillo Kollek

Lugar sagrado

11:36

Fico incomodado
com a invasão de privacidade
quero um lugar sagrado.

Tenho ciúme do meu espaço cúbico
conheço os dramas de cada mobília
no afresco há dor e alegria
sobre o tapete exerço autoridade.

Atrás da porta
dois corpos a deriva
olhos de águia
sussurros.

Sob o sol uma canção
compõe tatuagem na pele
contato imediato da paixão
amor sexo gozo
meros coadjuvantes.

Quero um lugar sagrado
um santuário
um oratório.

Murillo Kollek

Tempos Perplexos

Tempos Perplexos – Poética Social

13:32



     Em 2002, Francisco Heraldo e Murillo Kollek, publicaram seus poemas na coletânea literária Tempos Perplexos – Poética Social, organizada pela escritora Beth Brait com o apoio e publicação do Departamento de Cultura de Diadema/SP.


Trecho do poema: Cotidiano


"Um alto edifício foi erguido
No terreno baldio 
Onde 
Na minha infância 
Brincava de pega-pega" 

Murillo Kollek


Trecho do poema: Faces


"No solo árido da grande cidade
tudo é coberto pelo mesmo véu.
... homens fazem brotar prédios
e almas e mentes ocas vagam"

Francisco Heraldo

Tempos e Territórios

Tempos e Territórios

12:59


     Em 2004, o poeta Murillo Kollek participou com dois poemas no livro Tempos e Territórios: Antologia Literário de Diadema, realizado pelo Departamento de Cultura de Diadema/SP.

Trecho do poema: Diversão


"Subo as escadas ornamentadas em caracóis
Deslizo os degraus polidos
Absorvo o ar úmido das paredes
Esquadrinho o limite máximo da sala."

Murillo Kollek

Francisco Heraldo

Haikaipira 2

08:52

Teimosa a caneta cala
Teimoso o silêncio fala

A alma o vento leva
E o corpo vai pra cala.

Francisco Heraldo
06/12/2016