Manifestações

10:16

Olha... É duro, mas vou aqui, didaticamente, explicar um negocinho pros amigos:

1 - É uma grande falácia usada majoritariamente por esses movimentos que querem fazer seus argumentos valerem à qualquer custo que x grupo atentou para a atrocidade "A" e ignorou a atrocidade "B" como meio de deslegitimar causas. Bom, vamos lá: Só o fato de esse grupo elencar atrocidades já demonstra o que cada grupo (de Facebook, de notícias) faz com uma realidade qualquer - que é recortar a mesma e dar a ela um viés ideológico. Então quando você ignora uma atrocidade para enaltecer sua ideologia certamente você é vil, e eu concordo com isso. E quando você faz um campeonato da atrocidade com o objetivo de deslegitimar a causa que lhe desagrada no mínimo você é igualmente enojante.

2-Já que estamos apoiando algo como a intrusão de elementos alheios na área dos professores, nós professores gostaríamos de nos fazermos presentes num movimento em prol de causas que julgamos mal gerenciadas.

Você que apoia cousas como o "escola sem partido" certamente nos apoiaria em nossa cruzada para uma economia sem partido, e talvez até uma política sem partido. Temos também alguns projetos de engenharia, medicina, direito...

Alguns argumentarão que não engenheiros não estão qualificados para se meter em engenharia. Nesse caso, bastaria para nós impedir que não professores se metessem em educação. Não, péra... Somos tudo o que ensinamos e somos nós que formamos todo o mundo, né?

3- No Brasil, onde vivo há trinta anos, vejo a mentalidade colonial grassando por todo o canto. Comparo a sociedade brasileira à um engenho de açúcar e funciona assim: Classes baixas são a cana de açúcar, o que elas produzem é o caldo de cana, e as classes superiores são os senhores do engenho. Didático, não? Agora veja como funciona: No afã pelo lucro e para encarar os açucareiros internacionais, nossos senhores de engenho querem produzir mais açúcar. Para isso, sempre que julgam necessário, dão mais aperto à moenda. Mesmo assim produzem sempre menos que muitos estrangeiros. Por quê? Pporque eles se lembram de fertilizar a cana para ter o que extrair.

Para a parábola ficar mais clara, existem duas economias: A nossa, real e a dos financistas. Para fazer a economia real crescer, invista em quem gasta, porque eles dinamizam a coisa, criam mercados. Quer ferrar tudo? Invista em especuladores.

Aí, ó: Três coisinhas para pensar...

Claudinei Soares

You Might Also Like

0 comentários